09/11/10

RICOS DEMAIS

Um casal idoso do Canadá não conseguiu se adaptar à vida de milionário e resolveu doar 98% dos 19 milhões de reais que ganhou numa loteria. A doação foi feita para organizações de caridade, instituições sociais e também para hospitais onde a esposa fez tratamento contra um câncer. Semana passada o estranho gesto despertou o interesse dos jornais. Numa entrevista, o casal explicou: “Ninguém entende por que demos o dinheiro, mas nós não precisávamos daquela fortuna”.
Alguém pode pensar: “Já estão no final mesmo”. Sim, mas não seria a oportunidade para aproveitar o que resta da vida, conhecer o mundo, usufruir intensamente os prazeres do conforto, da tecnologia, sobretudo neste período quando a velhice gera inúmeras limitações?
Histórias assim impressionam. Afinal, vivemos tempos marcados pelos “prazeres da modernidade”. Dias atrás encontrei o seguinte destaque numa revista eletrônica sobre moda de roupa: “Glamour e hedonismo podem ser adquiridos a preços acessíveis”. Chamou-me atenção a palavra hedonismo. É uma filosofia da Grécia antiga que considera o prazer a finalidade da vida. Jesus usou esta palavra na parábola do Semeador, ao dizer que “as sementes que caíram no meio dos espinhos são as pessoas que ouvem a mensagem. Porém as preocupações, as riquezas e os prazeres (hedonón no grego) desta vida aumentam e sufocam essas pessoas. Por isso os frutos que elas produzem nunca amadurecem” (Lucas 8.14). Os frutos da fé nele, bem sabemos, são o amor ao próximo, um amor maravilhosamente exemplificado em outra parábola, a do bom samaritano (Lucas 10.25-37).
E não é preciso ser milionário para obedecer o que Jesus diz no fim da história bíblica “vá e faça a mesma coisa”. A cada dia, cada hora, no nosso caminho surge alguém “assaltado” por problemas e necessidades. Para ajudá-lo, teremos que sair do conforto de nossa rotina, dos trilhos de nossa comodidade. Mas, como disse este casal bondoso, eles se consideravam felizardos apenas por estarem vivos, e tinham um ao outro. Algo parecido quando Paulo escreveu: “Pois para mim, viver é Cristo e morrer é lucro. Mas, se eu continuar vivendo, poderei ainda fazer algum trabalho útil” (Filipenses 1.21,22).

Marcos Schmidt
pastor luterano

07/11/10

CULTO DE DESINSTALAÇÃO

O último culto do pastor Darcy foi neste domingo, dia 07/11. O culto foi maravilhoso, a mensagem muito boa.
A partir de agora o blog fica a cargo do novo pastor, o rev. Ervino Ross, ele está a caminho de Humaitá.
Ao pastor Darcy e sua família desejamos as mais ricas bênçãos de Deus.
O pastor Darcy estará viajando no dia 12/11 para Pelotas-RS, onde será o novo pastor, Deus o acompanhe.
O pastor quer deixar um abraço a todos e expressar sua imensa alegria em ter conhecido a cada um dos irmãos aqui de Humaitá-AM. Ele deixa um abraço também para todos os leitores deste blog, Deus guie e acompanhe a todos.
Felicidades à congregação PAZ de Humaitá-AM.

05/11/10

CULTO DE DESINSTALAÇÃO

Gostaria de convidar a todos para participar no dia 07 de novembro (domingo) às 08:00h, para o culto de desinstalação ou culto de despedida do pastor Darcy Schreiber da CELPAZ. Deus o abençoe no seu novo desafio lá em Pelotas-RS. Abençoe também a sua esposa e filho.

02/11/10

BATIZADO

No mesmo dia 29 tivemos a honra de realizar dois batismos no ponto de pregação da Estrada Nova - KM 48 - Aripoanã - AM. Deus aceitou o registro no livro da vida a vida de Giseli e Orion. Que a partir de agora esta semente da fé seja cultivada com amor e zelo, assim vão crescer no caminho do Senhor.




CASAMENTO

No dia 29 de outubro tivemos a alegria de realizar o casamento de Isaías e Neiva. Que Deus continue abençoando este casal. Os amigos foram reunidos para a comemoração.


24/10/10

Neste sábado, dia 23, os jovens da CelPaz fizeram a despedida do pastor e reuniram-se na casa do mesmo para a confraternização final. Foi muito animado e divertido, tivemos cachorro quente, pipoca, filme e animação. Que o Senhor continue animando e contagiando a cada um.






No sábado, dia 23, a CelPaz confeccioou e vendeu 120 pizzas. Foi uma tarde maravilhosa de trabalho e reunião da congregação.