31/05/2009

Pentecostes

A cristandade celebra hoje o grandioso dia de Pentecostes, aniversário da Igreja Cristã. Hoje milhares de fiéis, em todas as partes do mundo, entram em suas igrejas com louvor e júbilo. Eles agradecem a Jesus Cristo por ter cumprido sua promessa e enviado o Espírito Santo, o qual atua poderosamente neste mundo. Ele, ainda hoje, conduz centenas de pessoas ao arrependimento, opera a fé, faz morada nos corações dos fiéis, concede dons, impulsiona ao testemunho, consola e enche corações com a esperança da vida eterna.
Vamos contemplar, para fortalecimento de nossa fé os acontecimentos desse dia e ver como o Espírito Santo ainda hoje vem a nossos corações.

1. O dia de Pentecoste
Antes de Jesus subir aos céus, ele disse a seus discípulos: João (Batista) batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois deste dia. (Atos 1.5) Esta promessa Jesus cumpriu no dia de Pentecostes.
Neste dia, os judeus celebravam a entrega da Lei de Deus, os Dez Mandamentos, que Deus entrego a Moisés no Monte Sinai. (Levíticos 20)
Esse foi um dia terrível. Deus havia avisado por Moisés que ele queria falar ao povo. Eles deveria preparar-se para isto durante três dias, lavar suas roupas, examinar seus corações, e com oração e jejum se preparar para o encontro com Deus. No terceiro dia, estando todos reunidos de manhã, Deus desceu numa nuvem sobre o cume do monte Sinai. A terra tremeu. Houve relâmpagos e trovões. Então, do meio da nuvem, Deus começou a falar: Eu sou o Senhor, teu Deus, não terás outras deuses diante de mim. O povo ficou apavorado e fugiram da presença de Deus, dizendo a Moisés: Fala-nos tu, e te ouviremos, porém não fala Deus conosco, para que não morramos. (Êxodo 20.19)
Neste dia de Pentecostes, a segunda maior festa judaica, judeus de todas as partes do mundo afluíam para Jerusalém. Deus escolheu este dia para enviar seu Espírito Santo.
Os discípulos estavam todos reunidos em oração, quando de manhã, às 9h, ouviu-se de repente, vindo do céu, um forte som, como de um vento impetuoso – nós diríamos de uma tempestade – que se concentrou na casa onde estavam os discípulos. Este vento era como o Sino pelo qual Deus estava chamando a atenção de toda a Jerusalém, chamando os para um culto especial nesse dia. O povo assustado e apavorado correu para a rua e se perguntava: O que é isso? Alguns diziam: O som vem dali, daquela casa e correram para lá.

2. As línguas como que de fogo e corações cheios do Espírito Santo
Algo mais estranho aconteceu aos discípulos. Sobre suas cabeças pairavam línguas como que de fogo. Um sinal visível da presença do Espírito Santo.
Mas quem é o Espírito Santo? Ele é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, que procede do Pai e do Filho. Ele atuou na criação do universo. Ele gerou a fé em Adão e Eva, bem como em todos os que no Antigo Testamento chegaram à fé. Ele concedeu dons aos profetas para proclamarem a mensagem, como sabedoria aos reis fiéis para governarem. E foi adorado pelos louvores ao Santo, Santo, Santo Deus. No Antigo Testamento ele trabalhou discretamente. Só agora ele se manifestou de forma visível. Isto, porque sua missão é glorificar a Cristo, o que ele pode fazer somente depois de Cristo ter completado sua missão e reconciliado a humanidade com o Pai. As línguas de fogo eram sinais de sua presença.
Mas, olhemos ainda para o que os discípulos experimentaram em seus corações. Eles, antes amedrontados e tímidos, agora, de repente, estão cheios de coragem, ânimo. Eles têm clareza quanto à palavra de Deus e sabem o que dizer a respeito da grandeza de Deus, do amor de Deus revelado em Cristo. Além disso, eles receberam do Espírito Santo um dom bem especial, o de falarem em outras línguas. Eles puderam falar em diversos idiomas conforme a necessidade do momento. Nosso texto registra o nome dos diversos países de onde as pessoas vieram para a festa. Eram judeus ou prosélitos, pessoas convertidas ao judaísmo, que falavam a língua hebraica. Mas eles deveriam levar esta mensagem do evangelho para seus países, para isso era importante que ouvissem a mensagem do evangelho em suas línguas maternas, para poderem transmiti-la corretamente.

3. O sermão do apóstolo Pedro
Inicialmente, todos os discípulos pregaram e falaram os mais diversos idiomas das grandezas de Deus, isto é, do amor de Deus revelando em Cristo Jesus que, como substituto de toda a humanidade, cumpriu a lei de Deus, pagou pelos pecados de toda a humanidade e a reconciliou com Deus. Ressuscitou dos mortos, subiu aos céus, e como prova de estar no céu, à direita do Pai, enviou o Espírito Santo.
Depois disso, o apóstolo Pedro tomou a palavra e falou a esta grande multidão na língua hebraica. O Espírito Santo atuou poderosamente nos corações. Vejamos.
Em primeiro lugar, o apóstolo foi muito claro e direto, ele disse à multidão: Vós matastes o autor da vida, por mãos iníquas, ao qual, porém, Deus ressuscitou... A este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez Senhor, e Cristo. (Atos 2.23,24, 36)
O apóstolo Pedro lhes pregou a lei. Mostrou-lhes o grande pecado que eles cometeram crucificando o Filho de Deus. Esta mensagem os fulminou como um raio. Por esta mensagem o Espírito Santo trabalhou nos corações, tirando a cegueira natural para mostrar-lhes seus pecados. Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram: Que faremos irmãos? (v. 37)
Mesmo assim, precisamos dizer que o aplicar da lei não é o trabalho principal do Espírito Santo. Seu trabalho próprio é pelo evangelho, a boa nova da salvação, chamar, iluminar, operar e conservar a fé. Isto ele fez no dia de Pentecostes. Quando o apóstolo Pedro lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo... Salvai-vos desta geração perversa. (v. 38,40) E qual foi o resultado?
Um grupo, o número não nos é revelado, ouvindo os apóstolos testemunhando em diversos idiomas das grandezas de Deus, começaram a zombar, dizendo: estão cheios de vinhos. (v. 13) Infelizmente, é possível, resistir ao Espírito Santo, como Estêvão o disse em outra oportunidade: Homens de dura cerviz e incircuncisos de coação e de ouvidos, vos sempre resistir ao Espírito Santo. (Atos 7.51) Deus nos livre de tal.
Mas, por outro, três mil pessoas reconheceram seus pecados, se arrependeram, confiaram na graça de Cristo e se deixaram batizar. Louvado seja Deus.

4. Ainda hoje o Espírito Santo continua atuando
Vamos ao final. Pentecostes não é um fato de passado, uma festa na qual admiramos simplesmente os acontecimentos passados. Pentecostes é uma festa permanente. O Espírito Santo veio para ficar. Jesus disse: Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco. (João 14.16) O Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. (João 14.26)Quando vier o Consolador, ele convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. (João 16.8) Portanto, Pentecostes é uma festa que continua, porque o Espírito Santo veio para ficar e edificar a Igreja Cristã, até o dia do juízo final.

Conclusão
Agora a importante pergunta final: Você recebeu o Espírito Santo? Você está cheio do Espírito Santo? Importa que cada um faça esta pergunta sinceramente a si mesmo. Para detalhar isso, pergunto: Você já sentiu uma vez o forte e impetuoso vento do Sinai? Você já se sentiu uma vez fortemente atingido pela lei de Deus, a ponto de estremecer diante de Deus e reconhecer: pequei. Sou réu da eterna condenação. Ai de mim! Eu sei que em mim isto é, na minha carne não habita bem nenhum. (Rm 7.18) Sou profundamente egoísta, não tenho amado a Deus sobre tudo, nem o meu próximo, a partir dos meus familiares, como a mim mesmo! Sou um miserável pecador!
Isto, na verdade, é somente um trabalho preparativo do Espírito Santo, sem o qual não reconhecermos a verdadeira necessidade de um salvador.
E outra pergunta: Você sentiu também a brisa amena do santo evangelho, que de repente, em meio ao seu desespero, a lembrança de um versículo bíblico, da estrofe de um hino do Hinário, ou de um trecho da liturgia, fez com que você se apegasse ao evangelho e saber: Deus me ama em Cristo, apesar dos protestos da minha razão, das acusações da minha consciência e dos sentimentos contrários no meu coração, eu sei que Deus me ama e me perdoa, desfrutando assim a paz de Deus. Você novamente levantou seu rosto e criou ânimo para louvar e enaltecer a Deus.
Você já foi uma vez bem triste ao culto e não conseguiu nem cantar os primeiros hinos. Mas ouvindo os hinos, ouvindo as leituras, orações e a mensagem, de repente você começou a cantar junto e se alegrar na graça de Cristo. Pois bem, isto é o trabalho do Espírito Santo ainda hoje. Consolar com a graça de Cristo, fazer as pessoas jubilar alegremente, contra tudo o que vê e sente ao seu derredor. Encher os corações com a paz de Cristo e a esperança da vida eterna.
E isto faz com que você também passa a testemunhar e falar da grandeza do amor de Deus em Cristo. Nisso você experimentará também que os incrédulos ao seu derredor começam a zombar de você e taxá-lo de fanático, não bem certo da cabeça, etc. Mas isso não o amedrontará, pelo contrário, fará você orar pelos outros e continuar a testemunhar.
Maravilhoso dia de Pentecostes. Ouvir a Palavra de Deus, seu evangelho e sentir Deus, por sua graça, encher nossos corações com seu Espírito para que possamos jubilar, orar e testemunhar. Amém.
Horst R. Kuchenbecker

14/05/2009

Lugares Sagrados!


Por que o Muro das Lamentações, visitado pelo papa nessa semana, é mais sagrado do que a Muralha da China? Por que a Esplanada das Mesquitas, também visitada por Bento XVI , é considerada apenas o 3º lugar mais sagrado pelos palestinos?
Por que um templo é mais sagrado que uma casa, mesmo quando ambos são construídos com tijolos da mesma olaria?
São perguntas que nos fazem pensar. Outra reflexão: como um lugar como a Palestina, repleto do “Sagrado”, está sempre coberto de guerras e conseqüentemente de sangue?
Talvez a resposta esteja no fato de que a linha que dividi o sagrado do profano é muito tênue.
Os confrontos por motivos religiosos profanam o sagrado, pois revelam preocupações com muros, com construções e se esquecem das pessoas. Em nome do divino, mata-se sem receios! Por honra a pedras, derrama-se sangue inocente! Defende-se uma cidade e não os seus moradores.
No campo da política diz-se que o “voto é sagrado”, mas há poucos dias um deputado afirmou estar se lixando para a opinião pública. Também nessa área o sagrado confunde-se com o profano, pois cargos e instituições são defendidos ao invés dos cidadãos e suas necessidades.
O que faz um lugar ser mais sagrado do que outro?
No livro: “O Pequeno Príncipe”, o personagem cuidava de uma rosa que lhe era especial. Porém, descobre que há muitas outras rosas, iguais ou superior em beleza – mas, sente que nenhuma lhe é tão preciosa. Por quê? Porque o tempo concedido a sua rosa foi que a tornou tão especial. Foi à atenção dispensada ao regar, ao arrancar as ervas daninhas que tornou aquela rosa tão cara e tão ligada ao seu coração, ou, poderíamos assim dizer, tornou-a “sagrada”!
Assim como a rosa é para o Pequeno Príncipe, assim a Vida é para Deus e conseqüentemente para suas criaturas. Deus ama a Vida Humana não porque ela é valiosa, mas ela é valiosa porque Deus a ama. É o amor de Deus que santifica, que torna sagrado e não discursos de papas ou presidentes, nem poderes bélicos ou econômicos.
Por isso, ainda que eu honre e dignifique muros, cidades e templos, se isto estiver desvinculado do Amor, de nada isso valerá. Não me surpreende, portanto, que a Palestina, região cercada de lugares sagrados, honre a guerra e se esqueça da Paz.
Resta-me desejar que as muralhas de ódio sejam derrubadas. E que as construções humanas sejam respeitadas não pelo valor ou idade das pedras, mas sim pelos princípios e sentimentos que levaram a sua construção, e que estes princípios defendam a Vida e a sua dignidade, como Jesus fez e ainda faz.

Pastor Ismar Pinz – ismarpinz@yahoo.com.br
Comunidade Cristo Redentor, PELOTAS, RS.

10/05/2009

Homenagem para as MÃES!!!


As crianças da Cel "PAZ" fizeram a sua singela homenagem no dia das mães!

06/05/2009

MÃE


Mãe, certamente é maravilhoso poder abraçá-la, poder sentir seu carinho e seu cuidado. Filho, jamais perca a oportunidade de demonstrar todo seu amor, pois amanhã podes não poder fazê-lo. Seja filho querido, seja amável, seja filho, não ´somente no dia das mães, mas em todos os dias do ano. O Senhor Deus requer isso de ti e lhe promete bênçãos (4º. mandamento). Faça tudo para sempre estar ao lado de sua mãe, mesmo estando longe fisicamente, os laços de amor e atenção não desaparecem, pois o amor de mãe estende seus tentáculos até as extremidades da terra. Beijos... MÃE!!!